Uma eterna aprendiz: patinando

Padrão

Quando cismei, há alguns meses, que queria um patins novo, não sabia que seria tão difícil me adaptar. Eu ando de patins desde os 9 anos de idade, e a infância traz uma audácia que os anos (e as limitações físicas) levam embora, rsrs.

Confesso que quando testei os primeiros “passos” com o modelo novo (usava o inline, com rodas enfileiradas e fui pro quad, com 2 rodas na frente e 2 atrás), desanimei: era muuuuito diferente do outro, escorregadio, sem segurança pra frear… e a coragem da infância é substituída pelo “ainnn se eu cair vou me machucar, não vou conseguir trabalhar, vai doer, vou sofrer”…

E tive que repensar: ué, eu comprei, tô louca pra andar, vou desistir? Tive que retroceder um pouco, e desde que voltei a praticar, tenho treinado na marquise do Ibirapuera, onde o terreno é mais plano e liso. Não vou voando, livre como um passarinho, dando voltinhas, piruetas, como eu queria… vou devagarzinho, experimentando aqui e ali, levando uns sustos aqui e ali, alguns tombinhos aqui e ali…

20160618_084153

Quando chego na marquise, dá até medo. O horário que vou é beeem cedo, por volta das 8 da manhã, e o público dominante é o dos patinadores mesmo. Mas assim, tem uma galera que arrepia ali!!! Povo VOANDO sobre rodas, é impressionante!

E eu morria de vergonha de colocar meus patins e ir de um lado pro outro, treinando devagarzinho, até que um dia reparei nos grupos que têm aulas de patinação ali: pessoas de braço dado com instrutores, aprendendo seus primeiros passos, errando, acertando, como eu! E parei de ser besta e me preocupar com a opinião alheia. E essa última vez eu me senti muuuuito muuuuuuito melhor do que na primeira. Prática é isso. Persistência e treino são fundamentais, em tudo na vida.

Lembrei de quando comecei a correr na academia e ficava toda besta me preocupando com a opinião alheia “ainnnn as pessoas vão apontar ´ó a gorda correndo ali´, ´olha a gorda suada, desengonçada correndo que horror que bizarro´”. Que bobagem, ninguém tava nem prestando atenção em mim. E se alguém pensou, isso é problema da pessoa, não meu.E tive que ter a humildade em começar meus treinos do zero absoluto. Nunca tinha praticado corrida na vida e não adiantava ir igual uma doida querendo bater distância ou velocidade. Caminhadas, treinos na bike, treinos no transport, treinos de tiro e inclinação, fortalecimento, tudo isso fez parte como treinamento e ainda faz! Sou uma eterna aprendiz das corridas também.

Se eu tivesse desistido por c0nta desses pensamentos limitantes, não ia ter tido corrida, nem treinos divertidos, nem corridas memoráveis, nem chegadas emocionantes, nem globonews, nem levar meus pais pra ir em corrida comigo, nem desafios, nem nada disso!

O objetivo desse post é animar VOCÊ, que se sente intimidado pelos outros. ESQUEÇA a opinião alheia. Seja disciplinado e treine muuuuito. Se dedique, tenha metas! E seja flexível, aberto a idéias, palpites. Eu tive que ouvir muitas opiniões pra moldar meu treinamento e até hoje sou muito receptiva.

Sobre isso, sempre penso na lição do Bambu Chinês e, procurando lê-la novamente para me inspirar, encontrei um trecho de um texto num blog que me inspirou muito:

“Os bambus para suportar o inverno, o peso do gelo e as temperaturas baixíssimas, se curvam, como eu nunca tinha visto antes… Mas a medida que a neve para, o gelo vai derretendo e o sol começa a brilhar, ele vai se erguendo, dia a dia, minuto a minuto. Sem nunca se quebrar… talvez algumas lascas, uns arranhões por todo o sofrimento e experiência vivida. Mas retorna, sempre.

E a primavera, traz o sol e a vitalidade e novamente ele ficará viçoso, verde e se erguerá.

Com certeza, os ventos do outono ou as chuvas do verão, vão testar sua resistência também. Mas o gelo e a rigidez do inverno o fazem cada vez mais forte.”

Fonte: https://chinanaminhavida.com/2015/02/03/a-licao-do-bambu-chines/

Pensem nisso, quando acharem que o treinamento é duro, que suas metas estão longe, que existem muitos obstáculos. Uma hora, a neve para e o sol começa a brilhar!!! Não pode parar!!!

Anúncios

2 comentários sobre “Uma eterna aprendiz: patinando

    • Oi Cristine, que legal que você viu que compartilhei seu texto com meus leitores!!! Suas palavras foram de uma sensibilidade tocante, que serviram muito para o momento que estou passando. Obrigada pelo carinho e parabéns pelo seu blog, seus textos são muito bacanas.

      Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s